Budapeste, a jóia do Leste Europeu

A bela Budapeste, em 2017, a jóia do Leste: fica a menos de 3h de trem de Viena!

Budapeste foi a cereja do bolo de nossa viagem de 2016/2017. Com idioma cultura e arquitetura diferenciada, Budapeste é uma jóia do leste europeu, cidade imperdível sob todos os pontos de vista!
Belíssima e a menos de 3h de trem de Viena,  a cidade pode ate não ser barata  quanto algumas pessoas dizem, mas certamente tem preços menores que a vizinha Viena. Porém, atenção: é lenda urbana que seja uma cidade barata, como Praga. É preço normal de Europa, não espere preços menores… Mas vale cada euro  (ou florin, moeda local) investido no passeio.

Budapeste é dividida pelo belo rio Danúbio.

Parlamento em Budapeste
Lado “Peste”, Parlamento em Budapeste

De um lado, Buda, com as relíquias arquitetônicas mais antigas, incluindo o Castelo de Buda, que data de 1410.
E do outro lado Peste, cuja estrela é seu suntuoso Parlamento às margens do Danúbio com suas centenas de torres e arquitetura espetacular! Talvez pelo recente passado o povo, apesar de fechado, carrancudo, é super cortês: coisa mais comum é carros pararem para pedrestes atravessarem, pessoas cedendo o lugar no mercado, ao ver que se tem menos volumes e muitos outros comportamentos solidários que a os diferenciam em cortesia de qualquer outro local que já estivemos!

Atracões imperdíveis
Além do Parlamento e do castelo de Buda, se tem ainda

Lado Buda:

Castelo de Buda, Budapeste
Lado “Buda” em Budapeste

Tire um dia inteiro para visitar o Castelo de Buda (um dos mais legais que já visitamos na Europa até hoje, pague a entrada e visite!!) e o Bastião dos Pescadores de onde se tem uma vista de perder o fôlego. Além de ruazinhas lindas, vale um passeio de dia inteiro. Se pode subir de bondinho ou a pé, curtindo cada vista que a paisagem revela.

Dê ainda uma passada por fora no Hotel Galet e não deixe de se encantar ao cruzar as belas pontes, sendo a mais famosa e dentro de qualquer roteiro a ponte das correntes e a ponte Elisbeth.

Se sobrar tempo, cruze a ponte Margarita e passeie pela ilha Margarita: quando fomos as piscinas estavam em reforma, não gostamos tanto. Mas tendo tempo, acho que vale a pena a visita

Lado Peste:

O monumental Parlamento de Budapeste
O monumental Parlamento de Budapeste

No lado peste, se tem a obrigatória visita aos arredores do Parlamento. Não entramos, mas só a visita externa foi uma atracão e tanto para uma manhã! Depois conheça os sapatinhos dos judeus, um tocante e sombrio monumento rememorando o horror da segunda guerra.
Neste lado ainda vale visitar o Mercado Municipal, cuja arquitetura é linda, por dentro também é bacana ver os frutos e produtos locais, especialmente… pimentões! E a cidade que mais tem pimentões no mundo, só no mercado vimos 8 tipos diferentes de pimentões, toda a comida e regada a páprica, uma delícia!
A Basilica de San Estevao merece visita obrigatória também!  Mosaicos adornam o patio próximo a Igreja, que em dezembro tem as ruas mais animadas, muito comércio local, muitas delícias com páprica e a Palinka, a cachaça local que é uma delícia e esquenta muito também.
A Casa do Terror também merece uma visita, ali tem um pouco da história do País, que conviveu tanto com o Nazismo quanto com o partido comunista que ali se instalou por décadas. E perto dali, dê uma passadinha na Ópera, vale entrar e espiar nem que seja só o hall e seu teto belíssimo.
Tire um dia para conhecer a Praça dos Heróis, com gigantescas esculturas que dão uma ideia reflexo da grandiosidade da historia húngara. No entorno museus com arquitetura que deixam qualquer um boquiaberto!

Termas de Budapeste: um capítulo à parte!

Piscinas de águas termais em Budapeste
Piscinas de águas termais em Budapeste

— Clique aqu e veja o link com relato e vídeos

Um dos mais inesquecíveis passeios que já fizemos em viagens foi passar um dia nas termas SzéchenyiPara começar estava -1 grau, temperatura negativa, neve no chão…

Saímos cedo do hotel e atravessamos o Danúbio de metrô e já estávamos saltando na estacão Széchenyi, já no caminho se avista um lago com águas termais espalhando vapor, contrastando com o dia frio.
Seguimos para as termas Széchenyi, que fica numa belíssima construção, cuja arquitetura já era um show à parte. Na mochila, maiôs e muita curiosidade de como seria entrar numa piscina ao ar livre com uma temperatura de menos um grau!
Pagamos (cerca de R$ 50 brasileiros) e recebemos uma pulseirinha, dali fomos alugar toalhas, que custava barato, (R$ 7) mas tinha um depósito que pegaríamos de volta, após devolvê-las. Optamos por alugar também uma cabine que , diferentemente do Locker, além de se guardar roupas, serve para trocar de roupa com mais privacidade.
Roupa de banho e Havainas nos pés, nos dirigimos para a parte externa onde ficam 3 grandes piscinas. Neve no chão, mas o vapor intenso mascarava a temperatura negativa. Ao se tocar a água, de 32 graus, era como entrar no paraíso!!! Um prazer indescritível ficar submerso nessa piscina com neve do lado de fora!  Difícil mesmo foi sair. Mas corajosamente fomos conhecer as outras duas piscinas, uma delas com correnteza, se vira criança por um dia! No interior havia dezenas de pequenas piscinas, ofurôs, com muitas pessoas idosas, ou jogando xadrex, lendo ou só relaxando ou fazendo aulas de hidro. Inacreditável se pensar num cenário desses com temperatura negativa.
É um passeio imperdível no inverno do qual não se esquece jamais!
Depois troca-se de roupas, ha várias duchas e se devolve as toalhas. Não acreditamos quando descobrimos que tinha até secador de cabelos. termas Széchenyi em Budapeste, coloque já na sua lista de passeios a fazer no Inverno!

Imperdível também é:  fazer o passeio de barco à noite pelo rio Danúbio! Contratamos em 1 dia o ônibus do ‘hop on hop off’ (que alias, o de Budapeste não é bom..) que valeu muito a pena, por incluir no valor do ticket o passeio de barco a noite pelo Danúbio. Imperdível!!!
Já o passeio noturno de ônibus pela cidade, não recomendo, pois os vidros do ônibus no frio ficam muito embaçado e nada quase se vê…So vale a pena pelo Barco e pelos passeios diários…

Onde nos hospedamos em Budapeste: por uma preço muito barato, graças a uma promoção da rede Accor para membros, ficamos num excelente Novotel, bem em frente ao Parlamento, com vista magnifica para o Danúbio e o Parlamento. Considerando o andar alto, com essa vista deslumbrante + o café da manha espetacular, o hotel foi realmente uma pechincha. Recomendo!

Ficamos 5 dias por Budapeste. Foi o suficiente. Mas não fique menos tempo que isto… certamente irá se arrepender!


Trabalho mesmo foi selecionar algumas fotos, dentre tantas paisagens incríveis que se tinha no inverno na cidade.
Clique e amplie as fotos abaixo clique aqui para conhecer o album “Budapeste” completo no Flickr!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *