Nuremberg, linda cidade!

Roteiro em “Nuremberg, a mais alemã das cidades alemãs”, já impressiona logo na chegada.

Roteiro em Nuremberg
Um dos portais das muralhas

Nuremberg, “a mais alemã das cidades alemãs“, já impressiona logo na chegada. Para a estada de 4 dias na cidade, reservamos o Ibis Am Plaerr ( que recomendo!) para o qual nos dirigimos em um trajeto facilmente percorrido a pé, apos desembarcarmos do trem na Hauptbahnhof, vindos de Frankfurt.
De cara vimos a majestosa muralha medieval que cerca todo o centro do histórico. Um volta de 4 km de muralhas medievais, alternadas por portais que permitem o acesso ao centro.
Espetacular!!!
O Hotel fica muito bem localizado, próximo a um portão de entrada na cidade, o que permitiu que fizéssemos o check-In e logo fossemos conhecer o centro histórico, transpassando suas colossais muralhas.

Primeiro dia:

Roteiro em Nuremberg
Nuremberg, ponte homem enforcado

Tudo é lindo em Nuremberg.
Suas Igrejas, seus museus, suas ruínas (ainda preservadas da segunda guerra) seu comércios, pontes e sua ruas com arquitetura original, algumas que remontam da era medieval.
Era 17 de dezembro e havia a feira de natal de Nuremberg, uma das maiores e mais famosa feiras de natal da Alemanha, com barracas de artesanatos e comidas típicas reunidas em diversos pontos da cidade. Com temperatura entre 3º e 6º graus ficamos ainda mais fãs do “Glewein“, o vinho quente com especiarias que intercalávamos com o Pão de Mel, originais de Nuremberg, considerada a capital do pão de mel, o “Lebkuchen“! Realmente: o melhor que já provei até hoje!

Salsicha de Nuremberg
Salsichas de Nuremberg

Outra estrela da gastronomia típica são as famosas salsichas de Nuremberg, de tamanho menor e mais finas que as demais salsichas que vimos pela Alemanha, diz a lenda que eram feitas neste tamanho, um pouco maior que um dedo, para poder passar pelo buraco das fechaduras durante os anos da peste negra. Pode ser lenda, mas…
Para o jantar, optamos por conhecer a cerveja local, a Tucher, em um restaurante típico, com ótimos sauerkraut, salsichas de Nuremberg e um prato típico chamado “dumpling”: uma massa feita de batata para parecer com batata (oi?) cozido em água. Não achei bom, pelo contrário…! Pior: experimentei a sopa típica com essa massas de dumpling… prefiro sequer comentar.
Mas… nada que uma tucher weiss de 500 ml não conserte! nada que um típico pretzel não amenize!!!
: )

Segundo dia

Ehekarussel em Nuremberg
Ehekarussel em Nuremberg

No segundo dia, apos café no hotel (que recomendo, foi 10 euros por pessoa, que valeram a pena!) fomos conhecer cada atração que tínhamos listada, dentre elas a Torre Weiber Turm, um dos principais pórticos medievais de entrada para o centro histórico, próximo a estátua do Ehekarussel, que retrata (ou tenta) o ciclo da vida, nascimento, casamento e morte.É uma estátua com sofrimentos e gozos meio exagerados, eu diria..rs… mas que certamente o prenderá por minutos a fio a seu entorno! Interessantíssima!
Neste trecho tem-se ainda a belíssima Catedral de são Matheus.

Roteiro em Nuremberg
Nuremberg

Seguindo adiante, conhecemos a parte da Cidade Velha onde fica o antigo Hospital, a Igreja Fraunkirche, e a famosa ( e pequena para tanta fama, achei…) fonte Ghotic Schoner Brunnen, de 1300, que detém a lenda de que quem tocar no anel existente em sua entrada, voltará a Nuremberg. Direi que tinha uma grande fila!!!
Nas proximidades, ocorre a principal feira de Natal, em frente a Igreja de San Sebald.
Um local belíssimo nas imediações é o lago com a pequenina ponte de madeira conhecida como a “ponte do homem enforcado“, lindo!

Castelo em Nuremberg
Castelo em Nuremberg

Na parte da tarde fomos então visitar o Castelo Kaizerburg, cujo exterior é belíssimo e permite uma vista maravilhosa de toda a Cidade, vale demais visita-lo. Fizemos a visita interna com o áudioguia, mas é meio sem graça, por ser bem curta, se percorre no máximo 4 ou 5 salões com armaduras e quando se acha que vai começar, já estamos na porta da saída! rsrsrs. Mas como é barata, voce acaba fazendo.
A vista do castelo, entretanto, compensa! Se tem inclusive pontes sobre fossos desativados, espetcular!
Ao fim do dia, para variar: mais feira de natal, com corais espalhados pela Cidade e uma alegria contagiante, você fica “viciado” em feirinhas, viajando pra Alemanha no natal!!

Terceiro dia:

Documentum Zentrum
Documentum Zentrum

O terceiro dia, como amante do tema “Segunda Guerra”, era o mais esperado: apos o café da manhã, que tomamos na lanchonete do supermercado ao lado do Hotel, tomamos um tram, fora das muralhas da Cidade velha, para conhecer o Dokumentationszentrum ou “Dokuzentrum“e o Zepelim.
O Dokuzentrum é um museu in loco, sediado em uma grande construção do partido nazista, originalmente um estádio que deveria imitar o coliseu romano em arquitetura e dimensões, que foi em parte bombardeada durante a segunda guerra e teve a sua reconstrução para abrigar o atual museu, que disponibilizando farto material do período nazista, incluindo vídeo, gravuras, pequenos objetos de guerra, contando em fotos, gravuras, reportagens da época e depoimentos o que foi a ascensão e queda do partido nazista e tentando explicar em parte todo o carisma da liderança politica de Hitler,

Cartazes pré poder
Cartazes pré poder

mesclada ao grande horror evocado e mantido por quase uma década por este mesmo líder. Se para nós não é fácil compreender esta parte da História, imagino como deve ser difícil para o povo alemão ver algum sentido no que foi o triste período de 1930 e 1940 para a Europa e para o mundo.
Sempre importante lembrar que uma guerra e sempre uma via de mão dupla. Não se pode esquecer que milhares de civis inocentes alemães foram massacrados por bombardeios aliados, de modo que foi uma época de terror para todos os povos, inclusive para a população civil alemã, que ainda herdou, além da dor, a vergonha de seus mandatários gerações apos gerações, até os dias de hoje.

Zepelin - Tribuna de Hitler
Zepelin – Tribuna de Hitler

Enfim, vamos a viagem: o Dokumentationszentrum é absolutamente interessante e riquíssimo em acervo histórico especifico desta época. É um passeio que leva o dia inteiro.
dali, fomos em uma longa caminhada pelo imenso Lago, atrás do Dokumentationszentrum, conhecer o Zepelinfeld, área projetada para reunir soldados e admiradores do partido nazista, onde ha uma espécie de imenso (imenso mesmo,sabe?) anfiteatro a céu aberto, tendo ao centro uma tribuna de onde Hitler discursava para multidões, na época com 3 estandartes contendo a suástica nazista de plano de fundo, estandartes estes, obviamente, devidamente implodidos, ao fim de segunda guerra.
O resto da construção permanece.

Area externa Dozuzentrum
Ao fundo o Coliseum, em DokunZentrun

Pouco maltratada, a bem da verdade, mas tudo lá de pé, registrando 7 décadas de História que a Alemanha certamente quer muito deixar para trás. talvez isso é o que se reflita na pouca conservação dada a tal espaço.
Vimos ainda avenida construída para desfile do partido nazista. Gigantesca! Toda a área do Zepelim tem realmente dimensões inimagináveis… só indo: não há como explicar a megalomania de cada um destes projetos, da esmerada arquitetura e suas dimensões, acredite, nas vultuosas obras criadas ou iniciadas visando ser (mais) um espaço do Partido Nazista em Nuremberg, “a mais alemã das cidades alemãs”, segundo o próprio furer!

Tribunal de Nuremberg
Tribunal de Nuremberg

Para fechar com chave de ouro, ou seja, encadear inicio, meio e fim, tomamos o metro ate a Hauptbahnhof e de lá nos encaminhamos para a Cidadezinha de Furth, no fim da tarde, para conhecer o Tribunal de Nuremberg, onde ocorreu o famoso julgamento por crimes de Guerra.
É fato que nenhum aliado estava ali sendo julgado ( e também deveriam, pois crime de guerra é crime de guerra independente da etnia) mas… o fato que ali no Tribunal de Nuremberg, se encerrou (parece!) este triste capitulo da Historia. que também é Nossa História, enquanto membros todos que somos da grande família humana.
Dia de muitas reflexões.
Só mesmo algumas cervejas locais, a  Tucher, para nos tirar deste estagio!
Afinal brindemos por isto tudo ser passado!!!
Ufa!
: )

Quarto dia:

Rua medieval
Rua medieval

No quarto e ultimo dia (snif) em Nuremberg, fomos conhecer a Casa de Albert Duhrer, uma multi artista que inovou muito em sua época. Custou 5 euros a visita, e recomendo. É rápida de percorrer e se vê muitas coisas de época além do estúdio do próprio Duhrer.
Dali apos a parada para umas cervejas, seguimos para a rua mais medieval de Nuremberg, a Weissgerbergasse, com casinhas seculares em estilo germânico eichamel, ruas de paralelepípedos onde se depara com fortes e lindos cavalos puxando carroças com turistas (ai, que diferença dos cavalinhos da minha terra natal Petrópolis…).

Nuremberg
Nuremberg

E fomos rodar pelas ruas lindas de Nuremberg, onde, em dezembro, cai a noite por volta de 16:30 com maior feira de natal da Alemanha na sua frente, te “chamando” para mais uma cerveja! Que duros dias tivemos em Nuremberg! rsrsrs

Resumo: foi a Cidade mais linda que conheci na Alemanha, medieval, conservada, muito desenvolvida, maravilhosa com arquitetura fantástica parecendo as vezes uma cidade de conto de fadas.
não se pode de modo algum ir ate a Alemanha sem conhecer Nuremberg! e quase um crime d e guerra!


Atualização: nas ferias de 2017 retornamos a Nuremberg, numa parada de 3 dias, durante o ano novo, a caminho de Leipizig e Bamberg. A cidade estava ainda mais bonita! Ficamos por  3 dias hospedadas no excelente Hotel Novotel Nuernberg Centre Ville, espetacular hotel, um dos melhores de todas as viagens! Piscina, sauna e um café da manha sensacional! O hotel empresta bike, fez a nossa segunda estada em Nuremberg ainda melhor que a primeira!!! E nevou no dia primeiro, entao vimos a cidade com neve, ainda mais linda!!! O Ano novo também é animado com queima de fogos próximo as principais igrejas do centro!


Fotos:

Clique para conhecer o album de Nuremberg:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *