Porto e Lisboa: 2 jóias da Coroa

Porto e Lisboa: duas cidades imperdíveis para se visitar!

Lisboa e Porto

Protelei muito para conhecer Portugal.
Este ano, com minha irmã lá estudando, resolvi, enfim visitar.
Lisboa (como mil relatos já feitos, nem irei me estender…) e uma grande capital! Reúne o antigo e o novo com maestria, mostra um pais outrora riquíssimo, em vários aspectos, (bem) preservados pelo tempo.
Além disso, mantem suas raízes, intactas, como a região de fado, os mercados.
Enfim, com suas peculiaridades, nada fica a dever a outras grandes capitais europeias.
Se não foi ainda, como eu: vá!
: )
E mais: fica a 2h de trem de Porto, de modo que entramos por Lisboa (5 dias) e saímos por Porto (3 dias), recomendo demais essa dupla emj uma primeira viagem a Portugal.

Idéia geral de preços para “turistar” por Lisboa e Porto:
Achamos barato, com relação a outras cidades da Europa… porem. nem tão barato assim como todos diziam.
Um bom Exemplo:
Um card diário de transporte, sai por cerca de 6 euros
Em várias outras cidades, o passe diário sai por R$ 7
Pagamos 14 euros para entrar no Oceanário
Mesmo preço de várias outras atrações europeias (mal comparando: o Louvre é 17 euros).
Mas tem coisas que amo e são baratas por la!
O pastel de nata (vulgo “Pastel de Belém) sai por 1 euro na “Mantegaria” que, alias achei Mais Gostoso que o original na “pasteis de Belem”….
Vinho, em Lisboa ou Porto: barato. E bons.
já preço de massa não é tão diferente de outras cidades.
Eu não como bacalhau nem peixes: mas a media la era de 11 euros ali perto do Museu do Fado e cerca de 14 euros em outras casas famosas, como a Laurentina.
Já o bolinho de bacalhau, o melhor que encontramos foi ali no Chiado, numa lanchonete simples, na mesma esquina do Café famoso (Dicas abaixo)
Enfim!!! é barato, mas não muito barato.
Preço de turismo mesmo. (mas e mais barato que o Rio de Janeiro. Alias, ate a Luica anda mais barata que o Rio de Janeiro!!)
E por ai vai…

O que achei imperdível em Lisboa:

Tire uns 4 dias por Lisboa no mínimo…. Não queime esta linda cidade em menos tempo…

Nem sugiro um roteiro engessado aqui.. Apenas se perca por Lisboa e vá “tickando” os pontos imperdíveis aos poucos, sem pressa, um a um, de acordo com seu dia, …

Oceanário de Lisboa: uma coisa de doido, espetacular, eu recomendo uma manhã OU tarde toda para aquela região com OU sem crianças, e magnifico de qualquer jeito! A pessoa que ama o mar não pode morrer sem visitar o oceanário de Lisboa.

Ali pertinho nao deixe de passear no entorno e andar na Telecabine: da uma belíssima vista do Tejo!

Centro Comercial Vasco da Gama: se tiver tempo, vá! O shopping é bem moderno e ligado, bem ao lado da estação de metrô.

Tem ali perto do cenário, vá no “Montaditos” por 2 euros se toma um pint de Chopp e 1 montaditos à escolha!

Estação do Rossio: a famosa estação é uma das belas estações de trem e metro que se tem em Lisboa, são atrações turísticas à parte….Apreciem todas que puder!
Ali pertinho se pega um dos famosos elétricos para o Castelo…

Castelo de São Jorge: é cerca de 8 euros a entrada, mas vale muito a pena! Se não pelo Castelo em sí, que não oferece muitas atrações em seu interior, mas vale a pena pelo pátio externo, que oferece uma vista espetacular da cidade, é de lá que se faz as melhores fotos de Lisboa! E tem os pavões, e tem ruínas… vale a pena!
Além disso, antes de entrar, passe numa pequena lojinha e já peça um copinho da Ginja, uma bebidinha que é um licor de um fruto similar a cerejas (a Ginja), vendido em um copinho de chocolate. É um patrimônio português!

O legal e subir pro Castelo de São Jorge de Bonde….
E depois da visita descer a Alfama a pé, até chegar no Miradouro de Santa Luzia, espetacular! Imperdível!!!!
Pare ali, contemple o painel belíssimo de azulejos, e deguste sem pressa a vista incrivelmente linda que este local propicia!
Tome ali com toda calma do mundo uma (s) taça(s) de um vinho da Terrinha e agradeça a Deus pela dádiva de poder passear, com quem se gosta, e dar de cara com um lugar como aquele!

 

Panteão Nacional – a visita externa vale a pena, porque a subida (prepare as perninhas….pois é bem cansativa!) percorre as ruelas da Alfama, o que é um prazer sem fim…

Praça do Comércio ou Terreiro do Paço – é mais turistada, se é que você me entende, mas é óbvio que é imperdível chegar ao “Arco da Rua Augusta” que e um símbolo da reconstrução da cidade após o famoso terremoto.

Ruínas da Igreja do Carmo – Imperdível entrar e contemplar as ruínas espetaculares desta Igreja consumida no terremoto.
Alias, as imediações ali é para degustar a subida sem pressa… e depois descer no Elevador de Santa Justa que dá (outra) vista bem bacana do alto da cidade.

Alias, falar em Ruinas, tem no centro a Igreja de São Domingos que sobreviveu ao grande incendia em Lisboa, e que funciona in natura, tal como ficou. vale a pena visitar

Mercado Time Out: um armazém antigo que foi repaginado e tem hoje um conceito gastronômico, é bem moderno e não sai de Lisboa sem conhece-lo em uma noite!

Bairro Comercial do Chiado e a elegante e linda Rua Garrett: o Chiado é um lugar para se ir quase que todos os dias estando-se em Lisboa!
Ali é tudo lindo, é um local pulsante em Lisboa, desde a sua estação, até a bela fachada do Armazém do Chiado, que foi um armazém transformado em Shopping, tem no Chiado uma excelente loja da “Manteigaria” onde comi o melhor pastel de belé… digo, melhor pastel de Nata na Terrinha!..
Além disso, no Chiado tem música de rua, povo animado – locais e turistas! – tem lojas elegantes, tem docerias espetaculares, além de um clássico boteco ( chamado “Cervejaria”) com 1 dos melhores bolinhos de bacalhau de Lisboa, dizem, por 1 euro… !
Mais acima, continuando na Rua Garrett, no Chiado, se tem a famoso Café “A Brasileira”, com mesinhas externas, sempre lotado por turistas fazendo selfies com a famosa estátua de Fernando Pessoa.
Além disso, após o famoso café, a Rua Garrett se “espalha” em diversas subidas transversais, no quarteirão de restaurantes do “Alto”,  sao varias ruelas cheias de restaurantes e bares, onde se ouve o fado e se come muito bem, o difícil é escolher o restaurante… !

Alfama: as fotos e vídeos não traduzem jamais o que é a Alfama! Um bairro vivo, repleto de fado (raiz) , de janelas com as clássicas roupas coloridinhas penduradas, de dia já vale a pena se perder por la em suas subidas… mas de noite, é uma delícia boemia! Infelizmente não reservamos uma casa de fados, mas conseguimos, via suplicas, entrar e assistir fados ao vivo.
Não tem como explicar o que é o fado.
É música, é teatro, é poesia, é magia. Vá a Alfama a noite e saia a caça de uma casa de fados!
Anote isso em sua lista de o que fazer ainda nesta vida!

Use um outro dia só para Belem: é Lisboa ainda… mas se quiser pode chamar também de “bate volta”
Torre de Belém e Padrão dos descobrimentos : já fica a cerca de 30 minutos de “elétrico 15” que são trenzinhos de menor porte, sinônimo de Lisboa!
Reserve um dia inteiro para para Belém, e escolha um dia bonito: além da visita externa à torre (não entramos porque mesmo aos sábados, a exposição dentro da torre fecha para o almoço…rsrs) o patio no entorno é lindo, a vista para o Tejo nos faz relembrar a importância deste povo e suas aventuras marítimas, desde ali….

Ai depois de ver a bela Torre de Belém, é só seguir a pé se deliciando com as margens do Tejo e logo irá se deparar com o Padrão dos Descobrimentos, que rende belas fotos, além de ser um memorial para relembrar os 500 anos os inúmeras aventuras (muito bem sucedidas, tai o Brasil…) dos português no mar!

Ai depois tem o Mosteiro dos Jerônimos, com o “estilo Manuelino” que é um estilo arquitetônico único na Europa e você só verá ali!
É realmente uma arquitetura única!! Nós entramos, 10 euros a entrada…. Mas ai vai a dica: se você não é lá tão fissurada por minucias arquitetônicas, e nao pode gastar entrando em tudo, acredito que na Capela ao lado, que tem entrada gratuita, se terá um belo resumo do estilo da arquitetura Manuelina, que é o que, basicamente, bom extrato do que se vê no museu do Mosteiro.

Depois não deixe em hipótese alguma de entrar na Pastelaria de Belém. Dica: não fique no Balcão, peça uma mesa e conheça a casa por dentro. Poder ter fila, mas vale a pena! `Tire fotos da cozinha a pleno vapor produzindo as fornadas (fiquei hipnotizada vendo as fornadas e imaginando o faturamento a cada 15 minutos…rsrs)

1 dia para Sintra. Vale a pena?

Sintra: well, isto depende, óbvio, de cada um. Posso falar de minha experiencia e desta viagem, onde tinha 5 dias em Lisboa.
Reservei 1 dia para Sintra, que fica cerca de 40 minutos de Lisboa. Mas honestamente? Eu não gostei.
Tirando o Palácio da Pena que vi por fora, após chegar ofegante de tanta subida, achei bacana o estilo e tal, rende boas fotos. Mas eu não iria novamente.
Esta é minha opinião: se você tem menos de 5 dias em Lisboa, eu não recomendaria.
Mas se você for, faça um favor a si mesmo: vá com um tênis bem confortável, porque tem subidas e mais subidas, Mesmo se pagando mais de 6 euros pelo bus local….
As entradas são caras também.
Enfim, fica a 40 min de Lisboa, tomara um dia todo. E vá de tênis.
Comi os famosos travesseiros. Opinião idem, acima.

Dica e avaliação de Hotel em Lisboa:
Ficamos no Fênix Music, na Marques de Pombal. Recomendo expressamente!
Super bem localizado, bem em frente a estação de metro “Marques de Pombal, alem do ponto alto: o cuidadoso e delicioso e super café da manhã! cada dia tinha uma iguaria diferente, E eram muitas iguarias, delicioso o café da manhã deles! Tinha desde pasteis de nata, os mais variados bolos e doces da culinária portuguesa, até pizza de manha… tinha até espumante e vinho branco no café da manhã…. e, acredite, até vodca e uma ilha com ingredientes e a receita para o hóspede preparar seu Blood Mary matinal … coisa mais comum… quem nunca? rsrsrsrs
Enfim, voltaria a Lisboa só se eu puder ficar de novo neste Hotel! : )
Amei de paixão!

EL Garage fica no entorno da estação Marques de Pombal, na rua de cima, um restaurante excelente, uma casa italiana com “sotaque” portugues, excelente. Destaque para a massa preparada na hora, dentro de uma peça de queijo, com azeite de trufas que é uma coisa de louco. O chef vem até sua mesa para preparar, você vira uma estrela por 2 minutos, pipoca foto de tudo que é lado! rsrsrs
Voltamos ali quase todas as noites, tem uma pizza branca de entrada que é imperdível também, além de vinhos excelentes, a partir de 9 euros a garrafa!

Manteigaria: tem os melhores Pasteis da Nata que você ira comer na vida! Regue com canela e açúcar e agradeça aos ceus em cada mordida por este presente divino … a 1 euro!
Ma fama – O bacalhau que recebeu maior nota foi numa casa típica, nada sofisticado, fica em frente ao museu do fado, o primeiro restaurante da subida: preço em tonro de 12 euros, com acompanhamento honesto. Só não repetiria o vinho da casa….
Cervejaria: é o tal boteco no Chiado, mas com bolinho de bacalhau barato e perfeito!
Mercado Time Out: vale a pena ir, não tem as comidas mais baratas de Lisboa, pelo contrário… mas e imperdível pelo conceito e pela diversidade de opções de pratos ou bebidas.

 

 


PORTO e VILA NOVA DE GAIA

No último dia, pé na estrada para Porto.
preferimos ir de trem. Sentados e confortáveis, por 2 horas e meia, pagando cerca de 12 euros.
Mas minha irma lá nos encontrou indo de avião e ficou bem satisfeita com os preços do voo, mais baratos que de trem!

Chegamos na estação magnifica de São Bento. Belíssima, com música ao vivo, a chegada impressiona. Mas fica na parte baixa da cidade, e nós escolhemos um hotel (ficamos no Mercure) que ficava no alto da cidade e o acesso, apesar de perto da Estação, é uma senhora subida! Muito, muito íngreme!

Passado o susto inicial (e a recuperação das pernas…rs), começamos a descobrir aos poucos a cidade linda e pulsante que é Porto, com sua arquitetura secular e única, com sua imensidão de gaivotas que voam e cantam dia e noite, e suas ruelas comerciais cheias de belezas e passado, que convergem em direção à famosa Ribeira, ao Porto.

E Porto é uma daquelas cidades que são um presente dentro de outro presente. Tipo boneca russa….
Por que? Porque visitando Porto voce “ganha de brinde” – a apenas 1 ponte de distância – a cidadezinha de Vila Nova de Gaia, um outro encanto!!! A bem da verdade, é em Vila Nova de Gaia que estão as caves dos vinhos do Porto…. acho que nem preciso dizer que todo dia atravessava-se a ponte, não e?!!

Duas belezas, duas deliciosas e pequeninas cidades a seus pés…de um lado da Ribeira, Porto. Do outro lado da Ribeira, Vila Nova de Gaia. Em qualquer uma das duas se tem por de sol espetacular e se bebe bem e preço justo! Todo fim de tarde era uma paisagens mais bonita que a outra…

Imperdível em Porto e Vila Nova de Gaia:
Ribeira – receita para se apaixonar imediatamente por Porto: no meio da tarde, pegue uma ruazinha qualquer e vá descendo até chegar à Ribeira!
Sente ali, peça uma garrafa de vinho, algumas azeitonas locais para acompanhar e apenas deixe o tempo passar, sem pressa. Só contemple!
Uma tarde na parte da Ribeira do Porto. Na outra passe para Vila Nova de Gaia. É Paixão na certa!

Livraria Lello – famosa por ter inspirado a criadora de Harry Potter. Passamos por la, mas não entramos, teve uma recepção não muito calorosa, e achamos ruim cobrarem 6 euros só para que nos entrássemos em uma livraria, um espaço comercial. Mas como tava em nosso roteiro, mantive a dica aqui.

Rua de Santa Catarina – Rua do comercio, na parte mais alta da cidade, é onde fica o Mercure.
Tem um comercio vivo e incrível ali, pode-se perder ali facilmente uma tarde toda hipnotizada pelas muitas opções de lojas e por sua arquitetura…ali na Rua Santa Catarina, fica o

Mercado do Bolhão Fica na Rua de Pedestres porem a sede do Mercado foi, ao que parece temporariamente, mudada para outro prédio. Não conheci o original, mas estava sensacional onde estava. frutas e legumes e produtos locais expostos pelos produtores. Comprei até grão de bico para trazer para o Brasil!  Visita ali é Imperdível!

A caves de Vila Nova de Gaia
– como tínhamos pouco tempo, nos decidimos por fazer 1 visita guiada com degustação em 1 vinícola e ir em varias outras apenas para provar o vinho do Porto de cada uma. Escolha acertadíssima para quem tem pouco tempo!
A degustação e visita guiada fizemos na “Calem” por cerca de 11 euros e com 1h e meia de duração aproximadamente. Valeu Muito a pena: explicação sensacional da guia, conhecedora e apaixonada por este precioso tipo de vinhos nos deu um excelente aula sobre os diferentes tipos de vinhos do Porto!

No dia seguinte, já tendo idéia geral do produto…rsrs… fomos fazer o que eu chamaria de uma “Peregrinação do Vinho do Porto”:
Provamos 1 dose do branco e 1 do tinto na Sandman, depois na “Craft Wine”, depois na Ferreira (que tava fechada para almoco…) depois na Real Companhia Velha, depois da Burmester, depois Taylor’s  e depois na Offley (esta foi a campeã de nossa Peregrinação: o Porto mais delicioso e a cave mais bonita… e, claro, a com a a dose mais cara também…ossos do oficio!)
Enfim! Um dia todo, um investimento, que valeu muito a pena!!!!

Palácio da Bolsa de Porto Um prédio espetacular, da idade média, que abrigou a bolsa de valores. Atualmente compõe um conjunto arquitetônico com a Igreja.
e do outro lado da praça se vê o belo prédio do comercio atual. Imperdível!

Torre dos Clérigos e Passeio dos Clérigos Se visualiza a torre de vários pontos da cidade.As ruazinhas no entorno são uma graça e cheias de comercio!
Universidade – Prédio medieval lindíssimo , próximo a Torre dos Clérigos

Sé Catedral do Porto – Espetacular, sua construção data do século 12, em seu amplo pátio que contorna igreja, oferece vista colossal da cidade

Igreja de Santo Ildefonso e Teatro Nacional S. João.  Na parte alta, perto da Rua Santa s famosos painéis de azulejos!
Muralha Fernandina – bem perto da catedral, e uma muralha extensa e preservada que remonta do século XII.

Funicular dos Guindais: é outro modo de se descer ou subir da Ribeira até a parte alta da cidade.
Sua descida, margeando as muralhas Ferdinanda, proporciona belíssima vista além de ser um balsamo para os pês de quem já passou dos 40….
Ande no bondinho de Vila Nova de Gaia tambem: oferece vista deslumbrante, é um trecho curtinho, mas imperdível!

Dicas de Hotel e de Onde Comer:
Ficamos no Mercure, mas eu não recomendaria para quem chega e sai da estação São Bento…o acesso não é fácil para a parte baixa da cidade e Ribeira…. Exceto se optar por ir de bondinho, mas quem gosta de andar, pode ter hotel melhor localizado. Alem disto, apesar de seu bom staff, o café da manhã também poderia ser melhor, considerando a variedade das delicias regionais portuguesas…

Na beira do Porto, tem uma azeitonaria chamada…  Azeitonaria, minha dica: peça um vinho e prove quantas azeitonas forem possíveis em um fim de tarde! Comer as “Francesinhas”.

Degustação com visita guiada: recomendo a Calem, excelente custo benefício, com guia impecável.

Se você tiver uma folga na carteira, tente almoçar OU fazer a visita guiada na Offley, a cave dela é um luxo só!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *